/home/crp03/public_html/wp-content/themes/crp-03/single-crepop.php
Início  →  CREPOP  →  Cartilha: Políticas Públicas  →  Saúde  →  Atenção Básica à Saúde  →  Documentos de Referência
ícone de arrastar para os lados Arraste as tabelas para os lados para visualizar todas as colunas.
PublicaçãoOrigemEmentaAnoLink
Oficinas regionais - desafios para a qualidade na atenção básicaMinistério da SaúdeRelatório das oficinas regionais do provab e mais médicos que valorizaram a discussão e o debate em busca do fortalecimento de elementos centrais para a qualificação da atenção básica com vistas à integração do profissional médico em uma equipe multiprofissional efetivando o cuidado em saúde. Outras informações: organização de agenda, do acesso e do acolhimento, trabalho em equipe e território, sistemas de informação em saúde, gestão acadêmica e saúde indígena.2014
SB Brasil 2010: pesquisa nacional de saúde bucal: resultados principaisMinistério da SaúdeRelatório fruto do trabalho de gestores e pesquisadores com o objetivo de orientar os trabalhadores do SUS na continuação do avanço da equidade do acesso à saúde bucal para toda a população brasileira.2012
II mostra nacional de produtos de saúde da família: trabalhos premiadosMinistério da SaúdeMemorial organizado para promover a II mostra nacional de produção em saúde da família, com o objetivo de comemorar os dez anos de saúde da família e dar continuidade ao debate sobre as possibilidades e limites da estratégia saúde da família, por meio da troca de idéias e experiências entre atores de diferentes níveis de gestão do sus, profissionais dos serviços, instituições de ensino e sociedade. Foram 1.618 trabalhos inscritos que se distribuíram em 38 comunicações coordenadas, nos 24 painéis e sessões de pôsteres. A programação desenvolveu-se com a realização de mesas-redondas e diversas oficinas de trabalho que trouxeram temas de importância fundamental para a implementação da saúde da família no SUS.2006
Oficina de qualificação do NASFMinistério da SaúdeMétodo formativo que foca a qualificação do processo de trabalho das equipes NASF. Tendo como objetivo qualificar a atuação dessas equipes, em especial na redução da mortalidade infantil, com ações para a atenção à gestante e à saúde da criança. São problematizados os princípios e atributos da atenção primária à saúde, o papel dos NASF em relação às equipes de saúde da família e à rede de atenção à saúde locorregional, assim como são discutidos os aspectos sobre gerenciamento e programação de ações a fim de disparar o planejamento de intervenções que venham ao encontro da qualificação da atenção à gestante e à criança até cinco anos.2010
Saúde da família no brasil: uma análise de indicadores selecionados: 1998-2005/2006Ministério da SaúdeO estudo baseia-se na seleção de um conjunto abrangente e válido de indicadores sensíveis à atenção básica, relacionados à saúde da criança, saúde da mulher e ao controle da hipertensão arterial sistêmica, e na sistematização dos municípios brasileiros em estratos diferenciados de acordo com a cobertura da estratégia saúde da família (SF). Buscou-se caracterizar a expansão da estratégia e abordar o comportamento dos indicadores em relação a aspectos tais como porte dos municípios, renda e o índice de desenvolvimento humano (IDH). Observou-se que os efeitos da SF sobre os indicadores são mais significativos quanto maior a sua cobertura e quanto menor o IDH dos municípios e que a SF apresentava maior cobertura em municípios de IDH mais baixo e estava conseguindo aproximar os indicadores desses, de outros municípios de IDH mais alto, reduzindo a distância existente entre esses dois grupos de municípios.2008
Relatório do 1º seminário internacional de práticas integrativas e complementares em saúde – PNPICMinistério da SaúdeRelatório formulado em razão do 1º seminário internacional de práticas integrativas e complementares em saúde, realizado em Brasília (DF), entre os dias 13 e 16 de maio de 2008, no período da comemoração dos 20 anos do Sistema Único de Saúde (SUS), pelo ministério da saúde, Secretaria de Atenção à Saúde (SAS), por meio do Departamento de Atenção Básica (DAB), em parceria com a organização pan-americana de saúde (opas).2009
Diretrizes da política nacional de saúde bucalMinistério da SaúdeApresenta as diretrizes do ministério da saúde para a organização da atenção à saúde bucal no âmbito do SUS, constituindo o eixo político básico de proposição para a reorientação das concepções e práticas no campo da saúde bucal, capazes de propiciar um novo processo de trabalho tendo como meta à produção do cuidado.2004
Política nacional de práticas integrativas e complementares no SUS - PNPIC-SUS: atitude de ampliação de acessoMinistério da SaúdeTrata da necessidade de se conhecer, apoiar, incorporar e implementar experiências já desenvolvidas na rede pública estadual e municipal, dentre as quais a medicina tradicional chinesa - acupuntura, homeopatia, fitoterapia, medicina antroposófica e termalismo - crenoterapia. Define as abordagens da PNPIC no SUS.2006
Política nacional de alimentação e nutriçãoMinistério da SaúdeAborda a política nacional de alimentação e nutrição (PNAN) apresentada com o propósito de melhorar as condições de alimentação, nutrição e saúde, em busca da garantia da segurança alimentar e nutricional da população brasileira. A publicação está organizada em diretrizes que abrangem o escopo da atenção nutricional no sistema único de saúde com foco na vigilância, promoção, prevenção e cuidado integral de agravos relacionados à alimentação e nutrição; atividades, essas, integradas às demais ações de saúde nas redes de atenção, tendo a atenção básica como ordenadora das ações.2012
Política nacional de atenção básicaMinistério da SaúdeApresenta a política nacional de atenção básica como prioridade da rede de atenção à saúde, orientada pelos princípios da universalidade, acessibilidade, vínculo, continuidade do cuidado, integralidade da atenção, responsabilização, humanização, equidade e participação social.2012
Saúde mentalMinistério da SaúdeEste caderno apresenta e discute: as principais demandas em saúde mental, os fatores de proteção e de risco em saúde mental, os planos de intervenção e os métodos de acompanhamento dos casos. Esses pontos Buscam exemplificar possibilidades de atuação para as equipes e profissionais de saúde da atenção básica.2013
O SUS e a saúde sexual e reprodutiva de adolescentes e jovens no BrasilUNFPADurante o seminário “saúde, adolescência e juventude: promovendo a equidade e construindo habilidades para a vida”, o brasil destaca a importância dos investimentos em políticas, programas e ações que promovam a autonomia, escolhas e habilidades para a vida junto a adolescentes e jovens no que tange ao exercício de sua sexualidade e de sua vida reprodutiva. Neste contexto, a atual publicação apresenta a política de saúde brasileira – sistema único de saúde e compartilha algumas experiências e boas práticas para subsidiar adolescentes e jovens na tomada de decisões voluntárias no exercício de sua sexualidade, no planejamento de sua vida reprodutiva e na prevenção das doenças sexualmente transmissíveis.2013