Home > Notícias > Nota de Repúdio à Violência Transfóbica e Transfobia Institucional

Nota de Repúdio à Violência Transfóbica e Transfobia Institucional

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

O Conselho Regional de Psicologia da 3ª Região/BA (CRP-03) vem manifestar repúdio à violência transfóbica sofrida continuamente em sua moradia, pela estudante de Psicologia e membro do Grupo de Trabalho Relações de Gênero e Psicologia (GTRGP/CRP-03), Ariane Sena, e à transfobia institucional que culminou na expulsão do estudante de Publicidade e Propaganda, Samuel Silva (em uma universidade de São Paulo).

Após as conquistas já alcançadas pela população LGBT brasileira – garantia da alteração de prenome, casamento civil entre pessoas do mesmo sexo, reconhecimento do nome social no SUS, em instituições de ensino de nível superior, conselhos profissionais, etc. –, é inaceitável que as transidentidades permaneçam marcadas por violências, estruturadas social e institucionalmente, que vitimam pessoas todos os dias.

É inadmissível vivenciarmos a transfobia em um país onde a expectativa média de vida de travestis e transexuais é de apenas 36 anos, contra 73 anos do restante da população; em que 40% dos assassinatos de transsexuais no mundo ocorrem no Brasil, o mesmo país que, a cada 28 horas, mata uma pessoa LGBT. Ressalta-se o fato de 90% das travestis e pessoas transexuais ainda encontrarem na prostituição a sua única forma de sustento por, sobretudo, não terem a sua identidade de gênero compreendida e respeitada (dados da Associação Nacional de Travestis e Transexuais – ANTRA ).

O CRP-03 repudia toda e qualquer forma de violência transfóbica e manifesta apoio a Ariane Sena e a Samuel Silva, assim como aprova e incentiva a construção de espaços que respeitem e reconheçam as pessoas em sua integralidade, livres da transfobia e, também, da homolesbobifobia. A transfobia não permanecerá!