Home > Notícias > O papel da/o psicóloga/o diante dos problemas de mobilidade humana foi tema da Semana Psi 2015

O papel da/o psicóloga/o diante dos problemas de mobilidade humana foi tema da Semana Psi 2015

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Aconteceu na sexta-feira (29) o último dia de atividades da Semana PSI 2015, organizada pelo CRP-03, em Salvador. A Roda de Conversa “Os impactos da contemporaneidade na mobilidade humana e no direito à cidade” fechou a programação na capital. As psicólogas Marlene Silva (CRP-03/1198) e Alessandra Almeida (CRP-03/3642), juntamente com a arquiteta urbanista, Amine Portugal, conduziram as discussões. O evento foi promovido pela Comissão de Mobilidade Humana e Trânsito do Conselho.

Durante o debate diversos assuntos foram abordados como trânsito caótico, uso excessivo dos automóveis, utilização e função dos espaços nas cidades, entre outros temas. Segundo a psicóloga Alessandra Almeida, mesmo com algumas conquistas nos campos sociais, discursivos e tecnológicos, o que acontece atualmente é consequência de problemas estruturais. “Vivemos em cidades segregadas, antidemocráticas, pois parecem não contemplar os diversos discursos que constituem esse espaço com suas necessidades que são: gênero, raça, classe e etc.”, explicou.

Marlene Silva refletiu inicialmente sobre o alto número de veículos nas cidades brasileiras como resultado da ideologia de consumo, que prega a aquisição de um carro novo como símbolo de status e a busca pela felicidade. Após expor o cenário atual, a psicóloga passou a discorrer sobre o papel e os desafios da Psicologia diante desse contexto. Segundo a palestrante, é importante que o/a psicóloga/o tenha maior participação nos projetos de planejamento urbano. A palestrante defende a inserção da/o profissional, desde os processos de conscientização da população, passando pelas discussões sobre o transporte público de qualidade, e indo até aos projetos de transporte não motorizados, como ciclovias.

A urbanista e pesquisadora da UFBA, Amine Portugal, fez sua fala a partir da análise, sobretudo, das obras urbanas em curso pela prefeitura de Salvador. Amine é crítica às atuais intervenções no município e firma que a solução para a melhoria dos problemas terá que vir por meio das mobilizações sociais de protesto e defesa do patrimônio público. Como exemplo ela cita as ações das associações populares que fiscalizam e tencionam nas reformas do Rio Vermelho, na Cidade Baixa e na Ladeira da Montanha. Para a palestrante, Salvador não é plural e democrática. Por meio dos gestores públicos os municípios tornam-se mercadoria a serviço da especulação financeira e interesse de grandes grupos corporativos. As intervenções urbanas atuais buscam a comercialização e não a democracia social e preservação da história. “É preciso pensar as cidades a partir de suas peculiaridades e esquinas”, salienta Amine, que defende uma ação interdisciplinar entre urbanistas e psicólogas/os para que se estabeleça outra leitura da realidade dos municípios.

Após a Roda de Conversa, a Conselheira e integrante da Comissão de Comunicação, Liliane Telles (CRP-03/6829), e a jornalista da Autarquia, Grabriela Bastos, apresentaram o novo site da Autarquia, que está prestes a ir ao ar. Mais moderno, com interface agradável, o novo portal apresenta maior acessibilidade e novos serviços que trarão facilidades, rapidez e conforto aos usuários.

A Semana Psi 2015, na capital, foi encerrada com um aconchegante sarau musical. Na mesma noite o Conselho organizou eventos da Semana Psi em Feira de Santana e Itabuna. No sábado (29), as atividades aconteceram também em Irecê, Santa Maria da Vitória e Feira de Santana.