CRP-03 | Preenchimento de notificação compulsória é objeto de Oficina
/home/crp03/public_html/wp-content/themes/crp-03/single.php
Início  →  Notícias  →  Preenchimento de notificação compulsória é objeto de Oficina
Blog
Blog

Preenchimento de notificação compulsória é objeto de Oficina

Ainda como parte das comemorações do Dia da/o Psicóloga/o, o CRP-03 promoveu a Oficina Notificação compulsória em caso de violência: instrução sobre preenchimento de fichas de notificação e encaminhamentos. A atividade foi realizada ontem (23), no auditório da autarquia, com as integrantes do Grupo de Trabalho Relações de Gênero e Psicologia (GTRGP), Helena Miranda, orientadora fiscal do Conselho e Ana Cláudia Urpia.

Para chegar ao objeto da Oficina, o tema da Violência foi bastante discutido na atividade, a partir do ponto de vista da saúde. Ana Cláudia Urpia explicou sobre público atingido, quais são os tipos de violência, quais serviços devem ser acionados, entre outros. “A violência é multifatorial e multicausal. Atinge diversos setores e tem relação com estrutura social, econômica, política e etc”, falou a convidada. Ela ainda apresentou dados sobre as taxas de mortalidade em Salvador, número de notificações segundo faixa etária, entre os anos de 2009 e 2015 e chamou atenção para o momento de preenchimento da ficha: “O item raça/cor é bem importante e muitas vezes não pé respondido. É interessante pensar que quanto mais informações colocarmos para qualificar essa notificação, mais completo fica o documento”.

Helena Miranda abordou a temática dentro das discussões de gênero. Identidade de gênero, racismo, sexismo, homofobia e outros pontos foram trazidos para o debate. Segundo a psicóloga é necessário entender essas e outras situações para o preenchimento adequado da notificação. Helena destacou também que a/o psicóloga/o deve ficar atenta/o e perceber, no relato, os tipos de agressão sofridos pela vítima. “A violência psicológica é difícil de ser identificada, pois muitas vezes a vítima não sabe que sofreu”, explicou a palestrante. No final da Oficina, as/os participantes puderam preencher uma ficha de notificação, a partir de um caso fictício e tirar dúvidas com as convidadas.