CRP-03 | Roda de conversa sobre atendimento às vítimas de violência abre comemorações ao Dia da/o Psi
/home/crp03/public_html/wp-content/themes/crp-03/single.php
Início  →  Notícias  →  Roda de conversa sobre atendimento às vítimas de violência abre comemorações ao Dia da/o Psi
Blog
Blog

Roda de conversa sobre atendimento às vítimas de violência abre comemorações ao Dia da/o Psi

A primeira atividade em comemoração ao Dia da/o Psicóloga/o, em Salvador, foi realizada na manhã do último sábado (20), na sede do Conselho. O evento discutiu sobre a Psicologia no atendimento de situações de violência, com destaque para a Lei de Notificação Compulsória e o sigilo profissional. A psicóloga Dalka Chaves, coordenadora do Centro de Referência às Vítimas da Violência do Instituto Sedes Sapientiae de São Paulo conduziu a roda de conversa. Com o tema “Psicologia em defesa da democracia: nenhum passo atrás!”, as programações especiais para lembrar o dia 27 de agosto acontecem na capital e em outras 15 cidades da Bahia até o início de setembro.

Durante o evento, Dalka Chaves trouxe experiências das suas práticas profissionais no Centro, principalmente no atendimento de crianças e adolescentes, que sofreram algum tipo de abuso no contexto familiar. A convidada pontuou que o atendimento a essas deve ser interdisciplinar e ter entrosamento com outras áreas além da Saúde, como por exemplo, a Justiça. “Desse trabalho em rede, começa a surgir uma situação de posicionamento ético da/o profissional e como ela/e vai lidar com tantas/os parceiras/os nessa troca de informações”, comentou a psicóloga. Além disso, Dalka chamou atenção para os dados inseridos no prontuário da vítima, já que outras pessoas têm acesso ao documento: “É importante colocar informações gerais, mas só aquilo que é estrito e necessário, pois o documento será lido por outras/os profissionais”.

A psicóloga ainda explicou como fazer uma notificação e quais os seus desdobramentos, como orientar a família nesses casos e comentou situações vividas pelas/os técnicas/os nas políticas. “É preciso manter a notificação como forma de proteger essas pessoas. Aprimorar esse procedimento pela ampliação da troca de informações, intercâmbio entre as instituições no que diz respeito a investigação e proteção, como forma de promover o bem estar dessas vítimas”, falou Dalka Chaves.

Veja a programação completa das comemorações aqui.