CRP-03 | CRP-03 manifesta apoio a psicóloga vítima de tentativa de feminicídio
/home/crp03/public_html/wp-content/themes/crp-03/single.php
Início  →  Sem categoria  →  CRP-03 manifesta apoio a psicóloga vítima de tentativa de feminicídio

CRP-03 manifesta apoio a psicóloga vítima de tentativa de feminicídio

O Conselho Regional de Psicologia da Bahia – 3ª Região (CRP-03), por meio da Comissão de Mulheres e Relações de Gênero (COMREG), vem, através desta nota, manifestar solidariedade e apoio à psicóloga gaúcha Nadia Krubskaya Bisch (CRP-07/17749), bem como a todas as outras mulheres envolvidas em situações de violências praticadas por ex-namorados. Além disso, manifestar repúdio a toda e qualquer forma de violência de gênero que, infelizmente, é incidida cada vez mais na nossa sociedade. A psicóloga já havia acionado o sistema de justiça em virtude das violências que sofria e encontrava-se sob medidas protetivas. Contudo, mesmo assim, sofreu tentativa de feminicídio. A COMREG e todo o CRP-03 entendem a importância de visibilizarmos nossa solidariedade a todas as mulheres. Destacamos que na Psicologia, área predominantemente feminina, é possível identificarmos os atravessamentos de gênero que afetam as psicólogas em virtude do fato de sermos mulheres, o que corrobora com a pesquisa intitulada “Quem é a Psicóloga brasileira – Mulher, Psicologia e Trabalho” realizada pelo Conselho Federal de Psicologia – CFP (2013), além de diversas produções dos CRPs e do Conselho Federal de Psicologia que trazem para o debate diversas questões que afetam as mulheres no Brasil.  Ademais, todo o debate que vem sendo delineado junto ao Sistema Conselhos, através das Comissões sobre as questões de gênero e violências, alertam-nos cada vez mais para a importância de uma Psicologia atenta e comprometida com a luta pelos Direitos Humanos, pelos direitos das mulheres a uma vida segura e digna. Ressaltamos aqui a importância de entendermos que as psicólogas – que muitas vezes são acometidas pelo estereótipo do cuidado e da segurança psicológica – infelizmente não estão livres de vivenciarem violências e, portanto, reiteramos nosso apoio sensível à colega e às demais mulheres.   

 

Conselho Regional de Psicologia da Bahia 

Comissão de Mulheres e Relações de Gênero